Pink Money

Por acaso você já tinha ouvido falar, ou se referir ao seu aqué como Pink Money? Não interessa se você é biba, tucha, trava ou operada, tem muita gente de olho no seu dim dim meu bem, afinal, gente como a gente gasta bem e gosta de fazer isso.

O mercado LGBTT vem crescendo significativamente nos últimos anos, isso despertou o interesse de muitos investidores a estudar maneiras de qualificar os serviços oferecidos para este nicho de mercado. Sem filhos, na maioria, os homossexuais não tem sua renda comprometida com investimentos em educação nem plano de saúde das crianças, portanto é um público que gasta mais com lazer e entretenimento do que qualquer outro grupo.

Segundo Oswaldo Faria, diretor-executivo da Gay Travel Brasil, a primeira operadora exclusivamente GLS da América do Sul e diretor de marketing da ABRAT-GLS, só nos EUA esse grupo movimenta US$ 700 BI anualmente (fonte World Travel Market) e no Brasil estima-se que esse número esteja na casa dos US$ 6,5 BI ao ano. (fonte ABRAT-GLS)

Em 2009 o Rio de Janeiro foi eleito pela LogoTV americana (subsidiária da MTV) o melhor destino GLS internacional, deixando para trás competidores como Londres, Barcelona e Buenos Aires. Como essa vitória carioca poderá auxiliar outros destinos brasileiros a atrair tão cobiçados consumidores?

Até que ponto os principais destinos turísticos brasileiros estão aptos e preparados para receber esse exigente turista?

Diferentemente de mercados mais experientes e maduros com relação a esse público como os EUA, o Brasil ainda está na sua “infância” carecemos de uma série de requisitos para nos tornarmos um destino preferencial para esse público. Os prestadores de serviços e destinos estão na maioria das vezes completamente despreparados para o atendimento desse grupo e a capacitação da mão de obra especializada ainda está no estágio embrionário.

Em face dessa realidade, a ABRAT-GLS (Associação Brasileira de Turismo GLS) iniciou há cerca de dois anos um trabalho de capacitação com parceria do Ministério do Turismo onde foram eleitos os principais destinos GLS do país: Florianópolis, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo e nessas localidades foram realizados seminários e treinamento visando a capacitação da mão de obra-local.

Esse trabalho hoje é continuado apenas pela Prefeitura de São Paulo e a SP Turis, que inclusive tem oferecido um treinamento específico para motoristas de táxi e estarão criando um Centro de Informações Turísticas específico para esse público. Afinal a Parada de São Paulo é hoje o 2oº evento turístico mais importante na cidade.

Portanto para aproveitarmos o enorme potencial desse consumidor que viaja em média 6 vezes ao ano em viagens de longa-distância (o cliente heterossexual viaja apenas 1,4 vezes) temos que conhecer mais as características e hábitos de consumo desse segmento e capacitar-nos para poder melhor atendê-lo.

Algumas pesquisas revelam que os gays investem até 25% do valor do imóvel em reformas, enquanto os consumidores heterossexuais até 10%.

Agora é aproveitar que o mercado está se preparando para atnder as minhas, as suas, as nossas necessidades e exigências, para podermos investir cada centavo no nosso suado dinheirinho rosa, que valerá muito mais do que você imagina.

Fonte: http://adf.ly/6dYa4

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s